Arquivo em Janeiro 2021

Guerra se vence com Palavras

O que acontece entre nós hoje não é novidade, embora a nossa guerra seja política e religiosa, mas os efeitos devastadores são maiores que a primeira e segunda Guerra Mundial, Líderes políticos que ostentam o poder tem como objetivo se perpetuarem no poder, e para que isso seja possível, se necessário for, eles vão dizimar a população e até crianças inocentes.

Isso só prova que o poder cega o homem e também rouba-lhe do coração todo e qualquer sentimento pelo próximo de amor e compaixão. Jesus nunca deixou ser ascenso ao poder pelos homens, pois certamente já sabia disso e não queria nenhuma gloria desta terra, por isso que os judeus se decepcionaram com Jesus, eles queriam um messias guerreiro literalmente.

Jesus travou guerra com os homens de uma forma revolucionária sem mortes, sem vítimas, sem dor e sem injustiças, as armas de Cristo eram palavras – Palavras inteligentes que não se poderiam contestar até hoje. E muito pelo contrário, por onde Jesus passava guerreava contra a dor, a tristeza e contra a morte, estes eram seus inimigos reais.

Jesus como homem, não tinha influência política, não tinha poder bélico, não tinha partido, não tinha faculdade, não tinha habilidades de artes marciais e nem era estrategista de guerra.

A bancada bélica que guerreava com Cristo eram doze homens, sem nenhum tipo de preparo e totalmente desqualificados para um senário de guerra real. No entanto, o que Cristo enxergava neles, nem mesmo eles conseguiam ver, e foi com esses doze discípulos que Jesus mostrou ao mundo que as maiores guerras se vence com Palavras, atitudes e amando ao próximo.

A Primeira Guerra Mundial foi uma guerra global centrada na Europa, que começou em 28 de julho de 1914 e durou até 11 de novembro de 1918. O conflito envolveu as grandes potências de todo o mundo, que se organizaram em duas alianças opostas: os aliados e os Impérios Centrais, a Alemanha e a Áustria-Hungria.

Às vésperas do Natal em 1914, numa pequena cidade chamada Ploegstoot Wood distante dos limites da Alemanha e da Inglaterra, acontecia uma guerra entre alemães e ingleses, em meio a chuva e frio. Pareciam que a natureza castigava ambos os lados por todas suas guerras insanas.

Num determinado momento os ingleses passaram a ouvir cânticos que vinham das tropas alemãs. Mesmo pensando em ser uma estratégia de guerra aproximando-se  constataram que o inimigo cantava em Coro, Canções Natalinas.    

                                                   .https://pt.wikipedia.org/wiki/Tr%C3%A9gua_de_Natal

Tocados pelo espírito, os ingleses se achegaram cantando músicas com o mesmo motivo, em seu idioma.

A certa altura a confraternização era completa com árvores de Natal enfeitando as trincheiras e os soldados trocando charutos, comida e bebida. Até uma partida de futebol foi providenciada, com uma improvisada bola.

Depois de uma negociação cada lado passou o resto do dia de Natal, enterrando os seus mortos.

Após esse acontecimento de amizade que brotou entre os exércitos inimigos, para reiniciar a guerra, foi necessário remanejar as tropas, de ambos os lados. Consta que se registrou até suicídios, de soldados que não mais pretendiam voltar a matar na guerra.

O que deixa claro que os líderes poderosos de ambos os lados travaram uma guerra de ambição e poder na qual queriam vencer pelo derramamento de sangue inocente de soldados que eram pai, filho, marido, neto, etc.

Se os poderosos travam guerras, eles devem ser responsáveis por desenvolver meios de vencer a luta sem dizimar a população de pessoas que amam suas vidas, famílias e casas.

A exemplo de Cristo que venceu uma poderosa guerra sem armas, sem luta, sem blasfemeia e sem dizimar inocentes. E ainda deixou para nós um legado de amor, paz e união.

O ser humano não nasceu para as guerras, embora queiram defender seus ideais ou convicções não é necessário insultar, brigar ou matar. Quem assim faz, mostra que não é capaz de provar com palavras e atitudes suas convicções, foi assim que aconteceu com Cristo, mataram e condenaram Ele, porque não conseguiam contradizer suas palavras e atitudes.

A exemplo de Cristo, guerra se faz com Palavras!

O que passar disso é apelo e desespero de quem não aceita a derrota de um pensamento equivocado e errôneo.

Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus.

Você é um guerreiro de Cristo, venha aprender e estudar sua Palavra na Escola de Discipulado da Igreja família Par.

Texto: Pr. Alex G. Ramos
Revisão: Daniel G. Ramos
Natal na lama – Segunda Guerra mundial – Wikepidia

“Que a graça de Deus e seu imenso amor seja derramado sobre sua VIDA.”

A dor que nos uniu vai embora, mas a experiência divina da nossa união permanece para sempre.

Pr. Alex G. Ramos

Parece um pouco tarde, mas eu estava esperando a euforia das festas passarem para fazer essa reflexão e felicitações.

Antes de contabilizarmos os 365 dias que passamos e os novos 365 dias que vamos passar, vamos apontar um dos principais motivos que nos fizeram passar por tudo isso de cabeça erguida e com motivação para todos os dias acordar, respirar fundo e agradecer a Deus por mais um dia. 

Tudo depende da nossa forma de enxergar e analisar a situação, o que poucas vezes acontece, pois estamos acostumados a caminhar seguindo a visão que nos impõem.

Onde muitos enxergavam caos e horrendas desgraças, nascia um terreno fértil para realizações de milagres, um cenário glorioso onde Deus manifestou seu poder, as experiências divinas foram centenas, o aprendizado foi maior e a cada momento de dor e choro era uma oportunidade de   Deus se revelar a nós e plantar uma semente de fé em nossos corações.

Nossa fé foi provada no fogo, nosso caráter foi forjado, por vezes o pânico quis tomar conta de nós, vimos a nossa sobrevivência ameaçada a todo instante. Não tínhamos outra escolha, a não ser confiar no “DIVINO”.

Nesse momento nos tornamos um só, ficamos apegados uns aos outros, choramos juntos, mas também nos alegramos juntos, foi maravilhoso ver como cada um de nós ficamos sensíveis ao extremo na busca do soberano Deus.

Os pastores (Junior/Leila – Alex/Márcia) não são super-heróis, o que lhes trouxeram forças de fato, foi ver a fraqueza e o desesperos de suas ovelhas, e o que consumou o pastoreado deles foi ver muitas de suas ovelhas desenganadas e desacreditadas e mesmo assim triunfaram, isso os deixaram extasiados foi ver, sim, VER! Deus tão próximo e tão lado a lado com seu rebanho.

No entanto, vencemos! Sobrevivemos! Estamos juntos e de mãos dadas, e o mais importante, vimos a glória de Deus manifestada em nosso meio.

Nossa união, foi fundamental! Na alegria ou na dor, seja como for, sejamos unidos na fé e no amor.

Os que com lágrimas semeiam, com júbilos colherão os seus frutos, Salmos 126

“Você”! É um PAR – UMA IGREJA NA RUA – UMA IGREJA COM PROPÓSITO!

Feliz 2021