Quem foi Jim Jones ?

Quem foi Jim Jones ?

Não é de hoje que a fé cristã tem sido alvo de muitas críticas, e que em nome de deus o ser humano tem sido capaz de fazer coisas que nenhum mestre da maldade faria. A mídia relata anualmente inúmeros casos, uns mais bizarros que os outros, no ano de 2019 presenciamos alguns que abalaram o Brasil e porque não dizer até fé e a credibilidade da igreja e principalmente dos seus líderes, a exemplo disso, vejamos alguns exemplos:

Caso do Pastor George Alves

Pastor pedófilo que ateou fogo em duas crianças, após abusar delas.

O delegado André Jaretta, de Linhares, disse que um “conjunto de indícios demonstra que, naquela madrugada, o investigado, inicialmente, molestou as duas crianças, tanto o filho biológico Joaquim quanto o enteado Kauã, mantendo um ato libidinoso”.

Ele foi indiciado por duplo homicídio triplamente qualificado e duplo estupro de vulneráveis. A soma máxima das penas pode chegar a 126 anos. A polícia disse que o inquérito vai ser encaminhado à Justiça na próxima semana.

https://g1.globo.com/es/espirito-santo/noticia/policia-conclui-que-pastor-matou-o-filho-e-o-enteado-antes-de-incendio-no-es.ghtml

Por Viviane Machado e Victoria Varejão, G1 ES 23/05/2018 10h57 

Jovens abusados por Padres

Padre pedófilo que molestava jovens na casa paroquial.

O pecado abjeto foi premeditado em detalhes. Após celebrar uma missa na zona rural de Araras, cidade a 180 quilômetros de São Paulo, o padre Pedro Leandro Ricardo convidou o coroinha Ednan Aparecido Vieira, então com 17 anos, para dormir na casa paroquial. A desculpa: estar a postos no dia seguinte para ajudá-lo na missa do domingo de manhã. Embora soubesse que não haveria mais ninguém na residência, o menino jamais desconfiaria que estava prestes a cair em uma arapuca. Chegando ao local, o clima começou a ficar estranho com as perguntas do anfitrião, que só queria saber da vida íntima do garoto. Tinha namorada? Qual era seu tipo físico preferido de menina?

João Batista Jr., Adriana Dias Lopes e Edoardo Ghirotto access_time12 jul 2019, 10h28 – Publicado em 12 jul 2019, 06h30

João de Deus

Médium que molestou mais de 300 vítimas.

O médium João Teixeira de Faria, de 77 anos, conhecido como João de Deus, está sendo investigado pela suspeita de crimes sexuais que teriam sido cometidos durante atendimentos feitos na Casa de Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia. O G1 traçou um perfil do líder religioso que ficou internacionalmente conhecido por fazer cirurgias espirituais em milhares de pessoas, entre elas celebridades internacionais e políticos famosos.

O jornal “O Globo”, a TV Globo e o G1 têm publicado nos últimos dias relatos de dezenas de mulheres que se sentiram abusadas sexualmente pelo médium. Não se trata de questionar os métodos de cura de João de Deus ou a fé de milhares de pessoas que o procuram.

Por Murillo Velasco, G1 GO 10/12/2018 15h39  Atualizado há 7 meses

Refutação

De fato, essas notícias chocam a fé pública e trai, toda a boa confiança e fé religiosa daqueles que buscam em Deus auxílio e conforto para vossas almas.

Será que a culpa está diretamente ligada aos líderes? Poderíamos considerar a ingenuidade das pessoas que buscam Deus simplesmente e exclusivamente para soluções imediatas, como receitas prontas, facilidades, porções mágicas etc. Sem se importarem em conhecer realmente Deus! Não digo isso, a respeito das crianças ou até mesmo jovens, que estão em processo de formação de seus conhecimentos. O que nos deixa estarrecidos são as  pessoas acreditam no Deus modelado por qualquer um, sem se darem ao capricho de examinarem as condutas, regras e éticas de vidas desses supostos líderes e muito menos as “Escrituras Sagradas”!

Por esse motivo que Deus já falava com o profeta Oseias:

“O meu povo perece, por falta de conhecimento” Oseias 4;6

Quem nunca foi enganado ou se decepcionou algumas vez na vida com uma igreja ou líder? Se não foi, um dia será. Mas o que devemos fazer? Desistir de Deus?

Entrar para os dados estatísticos dos “Desigrejados”? Colocar tudo em um balaio comum, e dizer: Religião é tudo igual?

Temos que nos cercar e adotar uma nova postura, a final Deus não muda. Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Hebreus 13;8

Se você acha que esses acontecimentos é tudo, está enganado, há um caso considerado o maior do mundo e da história da religião no tocante a manipulação religiosa, talvez você nunca ouviu falar de Líder Jim Jones?

Quem foi Jim Jones ?

Jim Jones nasceu em Creta, uma pequena cidade do Condado de Randolph, no interior do estado de Indiana, Estados Unidos. Filho de James Thurman Jones (1887–1951), um veterano da Primeira Guerra Mundial, e Lynetta Putnam (1902–1977), que acreditava que tinha dado à luz um messias. Ele era descendente de irlandeses e de galeses. A alegação de Jones de que teria ascendência indígena cherokee, por parte da mãe, nunca foi comprovada.

A infância de Jim se passou no período da Grande Depressão causada pela crise econômica de 1929, o que obrigou os Jones a se estabelecerem perto de Lynn, em 1934. Após a separação dos pais, a mãe de Jim mudou-se com os filhos para Richmond, também em Indiana, onde ele concluiu seus estudos em 1948. No ano seguinte, Jim casou-se com Marceline Baldwin, uma enfermeira, e em 1951 finalmente mudou-se para Indianápolis, onde viveu uma década.

Desde a infância, Jim Jones mostrou inclinações místicas e na juventude foi um leitor dedicado de obras políticas e sociais. Também demonstrou simpatia pelo marxismo e pelas reivindicações dos afro-americanos contra a segregação e a discriminação racial, sintetizadas então na militância do ator Paul Robeson, e na candidatura progressista de Henry A. Wallace à presidência dos Estados Unidos, em 1948.

Nessa época, Jones desenvolveu suas ideias sobre a ação política e também começou a buscar uma expressão destas dentro da religião. Em 1952, tornou-se estudante em um seminário metodista, do qual foi expulso por defender a integração racial, e trabalhou algum tempo junto aos batistas do Sétimo Dia.

A grande Bizarrice de Jim Jones

 Em 17 de novembro de 1978, os 909 habitantes de Jonestown, Guiana, incluindo 304 crianças, morreram de envenenamento por cianeto, principalmente em torno pavilhão principal do assentamento. Isto resultou no maior número de civis estadunidenses mortos em um ato deliberado até os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. O FBI recuperou mais tarde uma gravação de áudio de 45 minutos do suicídio em andamento.

Na gravação, Jones diz aos membros do Templo que a União Soviética, país com o qual o culto tinha negociado um êxodo em alguns meses, não iria levá-los após os assassinatos do congressista Leo Ryan e de membros da imprensa. A razão dada por Jones para cometer suicídio foi consistente com a sua declaração anterior sobre agências de inteligência que supostamente conspiravam contra o Templo, ao dizer que eles iriam “atirar em alguns dos nossos bebês inocentes” e “torturar nossos filhos, torturar alguns dos nossos membros, torturar nossos idosos”.

Jones e vários membros passaram então a argumentar que o grupo deveria cometer um “suicídio revolucionário” ao beber suco de uva com cianeto e sedativos. Quando os membros gritaram, aparentemente, Jones aconselhou: “Parem com essa histeria! Este não é o caminho para as pessoas que são socialistas ou comunistas morrer. Este não é jeito que nós vamos morrer. Devemos morrer com um pouco de dignidade.” Jones podia ser ouvido dizendo: “não tenha medo de morrer” e que a morte é “apenas uma passagem para outro plano” e que é “uma amiga”. No final da fita, Jones conclui: “Nós não cometemos suicídio; cometemos um ato de suicídio revolucionário para protestar contra as condições de um mundo desumano.”

Jones foi encontrado morto em uma cadeira de praia com um tiro na cabeça, ferimento que o legista guianense Cyrill Mootoo declarou ser consistente com uma ferida de bala auto-infligida.

Fontes Bibliográficas WIKIPEDIA

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jim_Jones

 O que é lavagem cerebral?

lavagem cerebrallavagem de cérebroreforma de pensamento ou reeducação é qualquer esforço constituído visando a mudar certas atitudes e crenças de uma pessoa – crenças estas consideradas indesejáveis ou em conflito com as crenças e conhecimentos das outras pessoas – utilizando-se, para tal, de métodos agressivos, como cansaço, substâncias químicas e persuasão, aplicados sobre pessoas que estão privadas da livre determinação de sua vontade. Por meio da lavagem cerebral, indivíduos passam a ter opiniões que não teriam se estivessem em condições de plena liberdade

Visando o controle e a manipulação de um indivíduo para benefício e interesse do persuasor, a lavagem cerebral “consiste em um método e práticas de persuasão e convencimento que envolvem o desconhecido, ou seja, o elemento surpresa, emoções e sensações fortes e condicionamento”, como explica o psicólogo Breno Rosostolato.

Essas ações podem se dar de forma direta e explícita (caso de torturas) ou veladas, caso de seitas e religiões. O tanto de publicidade, que é despejado diariamente por meio dos meios de comunicação em qualquer pessoa que viva em uma civilização, também pode ser considerado um tipo de lavagem cerebral mais leve, já que não há nenhum tipo de violência física ou mental — ainda que há quem defenda que é somente um tipo de persuasão.

Pr. Alex G. Ramos

igrejafamiliapar

Deixe uma resposta